Busca

Volta ao Mundo em pedaços!

A vida é muito curta para não viajar!

Categoria

África

Visto para o Egito, como tirar?

Além das barreiras de idioma e cultura, o brasileiro que vai pro Egito precisa enfrentar uma barreira burocrática, mas bastante fácil de contornar: o visto para a entrada no país. Existem duas opções para tirar o visto de turista para uma viagem ao Egito:

– Ainda no Brasil você pode procurar o Consulado Egípcio no Rio de Janeiro ou a Embaixada em Brasília. Precisa preencher um formulário e dar entrada no processo. Custa R$115. É o caminho mais burocrático e demorado. Mais informações neste site. Você também pode baixar o formulário aqui.

– O segundo caminho é bastante simples e é o que nós fizemos. Ao chegar no aeroporto, ainda antes de passar pela imigração, você pode comprar o visto. É um selo colado no seu passaporte e custa $25 (R$87.50, considerando o câmbio a 3.5). Não demora nem 3 minutos!

vistoEm alguns países próximos, como Jordânia e Israel, dizem que pode ser um problema ter visto egípcio no passaporte. Como se trata de visitas turísticas, na maioria das vezes isso não acarreta problema nenhum.

Por dentro das Pirâmides do Egito

Já falei um pouco sobre as nossas melhores experiências no Egito, mas as Pirâmides são um capítulo à parte. Elas sempre mexeram com a minha imaginação… ao longo de anos foram muitas fotos, estórias e livros e um sonho enorme de conhecê-las, e um tema em especial sempre me intrigou: como seriam as pirâmides por dentro?

Quando você visita o complexo das pirâmides, a visita ao interior de uma delas não está incluído no pacote – que custa 80 egypitian pounds. Mas é possível sim, visitá-las comprando um ticket extra. E existem duas opções:

– 80 egypitian pounds para visitar a Queóps, a maior pirâmide
– 40 egypitian pounds para visitar a Quéfren, a pirâmide do meio
pirâmides

Compramos os bilhetes para visitar a Quéfren porque nosso guia reforçou dezenas de vezes que a estrutura por dentro das duas pirâmides era muito parecida. Se você é claustrofóbico ou tem problema de coluna, é recomendável que você não faça. A visita dura, ao todo, uns 10 minutos.

Se você quer saber o que tem lá dentro, a resposta é simples: nada. Ou melhor, pedra! É proibido fotografar lá dentro (as câmeras ficam com o segurança na entrada). Primeiro a gente desce, depois a gente sobe e chega em um salão amplo. E depois volta. É tudo pouco iluminado e estreito.

Temos algumas fotos clandestinas, mas encontrei um vídeo legal no youtube que mostra bem como é por dentro. Dá só uma olhada! [a partir de 00:35]

O resumo da experiência é que não é uma coisa essencial. Todo o resto do complexo é inesquecível, mas quando é que vamos entrar numa das pirâmides do Egito de novo?!

TOP 5: O que você não pode perder no Egito?

O Egito é um país muito diferente de tudo o que estamos acostumados e isso ajuda pra que quase tudo o que você faz por lá seja uma experiência legal. Observar a dinâmica dos homens nas ruas de djellabia (aquele “vestido”), as chamadas em todos os alto falantes da cidade pras cinco rezas diárias, as moças que cobrem as cabeças com lenços – ou deixam apenas os olhos à vista, os tuk-tuks pelas ruas, o lixo que se amontoa pelas calçadas, a lógica maluca do trânsito, a Tahrir Square pronta pro estouro de uma guerra, a arte de pechinchar no Khan Al Khalili … a sensação de estar experimentando o novo o tempo inteiro é incrível.

Mas além de viver todas essas e outras experiências, eis o que você não pode deixar fora da sua lista (não necessariamente nessa ordem!):

Voar de Balão em Luxor

Não pense duas vezes e simplesmente vá! Ainda não consigo encontrar palavras pra descrever a paz, o silêncio, a sensação de liberdade e alegria que eu senti voando de balão. Dizer que quando o sol nasceu eu chorei de emoção e agradeci muito por poder viver aquele momento talvez resuma tudo. Sem contar que o vôo acontece sobre o lindíssimo Vale dos Reis.

Nós voamos com a Sindbad, que super recomendo. Eles voam duas vezes por dia, a primeira no nascer do sol e a segunda pra ver o pôr do sol lá do alto. No primeiro vôo do dia eles te buscam umas 5h no hotel e te devolvem depois do passeio.

Pôr do Sol no Rio Nilo

O Rio Nilo é o segundo maior rio do mundo, um dos únicos que corre pro norte e um dos pilares da civilização e da organização populacional do Egito. Mas além dessa parte mais blá blá blá, é muito importante dizer que ele é um desbunde de bonito. O Nilo recorta grande parte do Egito, mas em Luxor e em Aswan ganha traços ainda mais especiais.

Foi em Luxor que fizemos um passeio de Felluca pra assistir ao pôr do sol. É você, num barquinho bucólico, num rio incrível, com um sol que vai alaranjando e colorindo o céu com milhares de cores diferentes – sem contar as garças, os pássaros, os animais à margem e as dezenas de flores diferentes que enfeitam o caminho.

Nós contratamos o nosso passeio no hotel, mas em toda a “orla do Rio” é fácil encontrar barqueiros loucos pra cair no mar. Não esqueça de pechinchar antes de fechar!

Abu Simbel

Tem que acordar de madrugada, ter o carro revistado pela polícia local e sair em escolta por 3 horas de estrada até bem perto da fronteira com o Sudão. Quando eu digo estrada leia um caminho infinito em linha reta com deserto de areia negra por todos os lados! Mas vale muito muito muito à pena.

Abu Simbel é aquele templo que tem as quatro (ou três) figuras gigantescas de Ramsés II e, de todas as coisas históricas que se vê no Egito, o estado de conservação do interior dos templos é inacreditável e sem comparação com nada que a gente tenha visto. Isso se deve ao fato dos templos terem ficado cobertos de areia até 1813 quando foram descobertos. Devido à construção de uma barragem os templos foram transferidos para a localização atual durante a década de 60.

Esqueça tudo o que você já viu de paredes e desenhos egípcios em livros e museus da europa. Entrar em Abu Simbel te leva 4.000 anos pra trás. É imperdível!

Mergulhar no Mar Vermelho

Eu tenho muito medo de mar e nunca tinha mergulhado. Sou daquelas que nunca tinha colocado óculos de mergulho e a cabeça embaixo d’água. No Mar Vermelho eu venci o medo, mergulhei e ainda não consigo acreditar que existe um mundo tão maravilhoso “do lado de baixo”.

Os corais do Mar Vermelho são um dos maiores e mais lindos do mundo e a minha primeira experiência foi mais que aprovada. A variedade de vida marinha é enorme, os corais são gigantes e a cor da água mudou o meu conceito de “mar perfeito”.

Tem dezenas de opções de cidades, centenas de opções de praia, milhares de opções de passeio e nenhum motivo pra você não viver isso!

Pirâmides

É batido, é clichê, é inesquecível. Ninguém vai ao Egito e perde as pirâmides, mas se elas entram na lista de coisas que as pessoas não deveriam deixar de fazer na vida, nesse top 5 do Egito elas também não podem faltar. Sempre sonhei com as pirâmides, mas é difícil imaginar a magnitude delas – e da esfinge – ao vivo e, mais difícil ainda, vai ser esquecer a mistura de sensações de estar lá.

O complexo das pirâmides é enorme e tomamos a excelente decisão de fazer o passeio de camelo, o que deixou tudo ainda mais divertido. É possível comprar bilhetes extras para visitar o interior das pirâmides. Compramos para visitar a Quéfren (a do meio) e não me arrependi. Parece que o interior das duas é muito parecido e a diferença de preços é grande. Não tem visitação no interior da Miquerinos.

Não dá pra não se apaixonar por esse lugar!

IMG_2951