Busca

Volta ao Mundo em pedaços!

A vida é muito curta para não viajar!

Categoria

Paris

Viaduto de Passy e o Caminho dos Cisnes: passeio no Sena e a melhor vista da Torre!

Pra ver a Torre Eiffel, todo mundo vai pro Trocadero – e é claro que todo mundo precisa ir lá, mas eu sou apaixonada mesmo é por um outro lugar: o mirante do antigo Viaduto de Passy, hoje Pont Bir-Hakeim.

Viaduto de Passy, Paris

É pelo viaduto de Passy que a linha 6 atravessa o Rio Sena com uma vista incrível da Torre e o jeito mais fácil de chegar no Mirante é descer na estação Bir-Hakeim e andar em direção ao Sena, por baixo do viaduto. Se você já estiver do outro lado do rio, desça na estação Passy e faça o mesmo caminho em direção ao Rio. A vista é maravilhosa e tem muito menos movimento e muito menos turistas. Se você já assistiu aos filmes “A Origem” ou “O Último Tango em Paris” deve se lembrar desse lugar!

Viaduto de Passy, vista da Torre, Paris

O Viatuto de Passy também é o ponto ideal para começar um caminhada pelo Allée des Cygnes, o Caminho dos Cisnes, que é o único trecho para pedestres dentro do Rio Sena – ligando o Viatudo de Passy à Ponte Mirabeau.

Allée des Cygnes, Paris Torre Eiffel vista do Allée des Cygnes, Paris

Andando até o final do Caminho dos Cisnes você vai encontrar uma das réplicas Parisienses da Estátua da Liberdade. O passeio vale muito à pena e chega a ser estranho não estar entre as principais rotas turísticas da cidade!

Estátua da Liberdade, Paris

Le Refuge des Fondus – descolado e aconchegante

O Refuge des Fondus é um restaurante bem peculiar no 18eme, entre a Sacre Coeur e o Mur des Je t’aime.

São apenas duas mesas compridas para serem compartilhadas. Cada mesa tem uma fileira de cadeiras na parede e outra no corredor. Com exceção das cadeiras das pontas, que vai sentar encostado na parece precisa pular por cima da mesa com a ajuda do garçom.

A decoração é alternativa, com teto e paredes grafitadas e um pedaço ao fundo decorado com notas de papel moeda de diversos países do mundo.

Paris, 18eme
Uma outra peculiaridade do lugar é que o vinho é servido em mamadeiras de vidro. É uma ideia simples, diferente e legal. Não atrapalha em nada o gosto da bebida. No menu, uma mamadeira vem incluída. Caso queira mais alguma dose de vinho cada mamadeira custa 4 euros. Quem gosta mesmo da ideia e quer levar uma mamadeira pra casa custa 8 euros – mas ela infelizmente vem vazia, por regras da casa.

O menu custa 22 euros e consiste em uma bebida aperitivo, entrada (prato de aperitivos), fondue (carne ou queijo), uma mamadeira de vinho (tinto ou branco) e uma sobremesa.

O Fondue de queijo é gostoso, mas eu prefiro os que são um pouquinho mais “grossos”. O de carne vem com molhos variados e também é bom.

Vale a visita e a experiência diferente!

As Igrejas imperdíveis de Paris

O combo “Roma + Vaticano” talvez seja o mais famoso do mundo quando o assunto é a quantidade de igrejas emblemáticas, mas Paris tem um conjunto magnífico que não fica muito pra trás não. A capital francesa tem igrejas para todos os gostos e separamos uma listinha com as imperdíveis:

A Catedral de Notre Dame é toda história e beleza. Começou a ser construída no ano de 1136 e é um dos prédios mais antigos da Île de la Citê – que mais tarde deu origem à cidade de Paris. Com suas torres idênticas imponentes na fachada – casa do Quasimodo, tocador de sinos de Victor Hugo e da magia da Disney – e com seus maravilhosos vitrais em formato de rosácea – iluminando de maneira singular os corredores. A Catedral de Paris tem ainda Joana D’Arc, heroina e símbolo da nação e seu terraço de famosas carrancas e vista irretocável da cidade às margens do Rio Sena.

A Catedral de Notre Dame é maravilhosa por dentro e por fora, de dia ou de noite. Não à toa é o ponto turístico gratuito mais visitado de toda a França.

A entrada na igreja é gratuita. Para subir ao terraço: 12 euros. Quem tem Paris Museum Pass não precisa comprar ingresso, mas precisa ficar na fila.

Metrô Linha 4: Cité / Linha 10: Cluny – La Sorbonne / Linhas 1 e 11: Hôtel de Ville / RER C: Saint Michel Notre Dame

A Sainte Chapelle poderia ser apenas mais uma igreja nos roteiros turísticos da cidade, mas ela é muito mais que isso. É um lugar de beleza única e de muita paz. Ela faz valer a espera qualquer fila, debaixo de sol, de chuva ou de neve! Não importa quantos dias você tenha em Paris, não deixe de entrar na Capela Santa.

Quando a Île de la Cité ainda era o centro de Paris, o Rei Luis IX encomendou a construção da Sainte Chapelle para ser sua capela particular. A Igreja ficou pronta em 1248 e é dividida em dois andares de usos distintos: o primeiro piso era usado apenas por funcionários do castelo real. O segundo andar, o principal, era usado apenas pelo Rei e seus poucos convidados. É no andar do Rei que se encontram os maravilhosos vitrais da Sainte Chapelle. Gaste um tempo lá dentro: observe os desenhos do chão, os detalhes das pilastras, acompanhe nos folhetos os desenhos de cada um dos imensos vitrais – que filtram com perfeição a luz que adentra a capela.

O bilhete para adultos custa 8.50 euros. Mais detalhes sobre outras tarifas e descontos aqui. O Paris Museum Pass é aceito na Sainte Chapelle e você pode saber mais sobre ele aqui!

Os horários de abertura variam de acordo com a época do ano. Na temporada primavera/verão (01/03 a 31/10) vai de 9h30 às 18h. Na temporada outono-inverno (01/11 – 28/02) vai de 9h às 17h.
*Atenção: Planeje-se bem. Costuma ter bastante fila.

Metrô Linha 4: Cité / Linhas 1, 7, 11, 14: Châtelet

Na parte mais alta do bairro de Montmartre fica a imponente Basílica de Sacré Coeur. Se comparada à Notre Dame e à Sainte Chapelle podemos dizer que a igreja do Sagrado Coração de Cristo é bem jovem, já que teve sua construção encomendada depois do fim da Guerra Franco-Prussiana, em 1870, e só ficou pronta em 1914. A construção foi pagamento de uma promessa feita caso os franceses sobrevivessem às investidas do poderoso exército alemão.

A escadaria em frente à Sacré Coeur é quase uma atração à parte. Durante o verão, você pode aproveitar o calor cantando e se divertindo com artistas que fazem suas apresentações aos pés da Igreja.

Além do interior incrível, a vista da cidade é um atrativo importante da Sacré Coeur. Seja do nível das escadas que dão acesso à Basílica ou do alto dos 300 degraus que levam ao domo, o visual é um presente que já faz valer a visita ao alto de Montmartre.

A entrada na Basílica de Sacré Coeur é gratuita. Para subir ao domo o ingresso para adultos custa 6 euros. A subida é uma das atrações incluídas no Paris Museum Pass

Metrô Linha 2: Anvers / Linha 12: Abbesses
*Atenção: a estação de Abbesses tem muitas (mesmo!) escadas para chegar à superfície. Pegue o elevador!
*O bilhete diário do metrô vale para subir o Furniculário. Pra quem não tem problemas com escadas, vale subir as escadarias que dão acesso à Basílica de Sacré Coeur.

Com um belíssimo interior, a Igreja de Saint Sulpice sempre foi uma das igrejas mais famosas de Paris, mas o número de visitantes subiu muito depois do sucesso do romance de Dan Brown, o Código da Vinci.

A Igreja fica na Place de Saint Sulpice, no coração do quartier mais valorizado do mercado imobiliário de Paris. Se observada da praça, fica óvia a razão para a alchunha de igreja das “torres desiguais” já que uma das torres de sua fachada é claramente menor que a outra.

Uma das particularidades da Saint Sulpice é o seu sistema de medição astronônica, chamado Gnomôn. Trata-se de uma coluna de mármore que projeta sua sombra no solo e determina o horário do dia e os dias exatos dos solstícios e equinócios. Acredita-se que a serventia científica do Gnomôn salvou a Igreja de Saint Sulpice da destuição durante a Revolução Francesa.

A entrada na Saint Sulpice é gratuita.
Metrô Linha 4: Saint Sulpice / Linha 10: Mabillon

Entre as igrejas de Paris, a Igreja de la Madeleine, dedicada à Santa Maria Madelena é uma das que se destacam. Sua construção começou em 1764 – e teve que ser interrompida durante alguns anos da Revolução Francesa. Seu desenho lembra mais um templo clássico grego que uma igreja católica e justamente por isso, durante anos foi usada como templo em homenagem ao Grande Exército – papel assumido anos depois pelo Arco do Triunfo.

A escadaria da Madeleine abriga uma das maiores festividade do Brasil na Europa, a “Lavagem da Madeleine” inspirada na Lavagem das escadas do Bonfim, tradicional rito baiano. O ritual de 2015 acontecerá no domingo, dia 13 de setembro. Se você nunca viu nada sobre a lavagem da Madeleine, vale dar uma conferida no vídeo do ano passado.

A entrada na Igreja de Madeleine é gratuita.
Metrô Linhas 8, 12 e 14: Madeleine

Transporte em Paris, que bilhetes comprar?!

Paris tem um dos melhores e mais famosos sistemas de transporte público. E pra muita gente que visita a cidade luz ainda é um desafio escolher como pagar e entender as opções. Por isso preparamos esse “guia” fácil pra tirar todas as suas possíveis dúvidas. Se depois de ler esse post ainda ficar com alguma pergunta não respondida, por favor, deixe sua dúvida nos comentários que responderemos!

Algumas observações gerais:

Todos os métodos são aceitos para uso de metrô, RER, ônibus e Tramway. Alguns preços variam de acordo com as zonas da cidade que você vai percorrer. Importante saber que a parte central da cidade fica nas zonas 1 e 2. Se você vai pra Versailles ou pra Eurodisney, os dois são zona 5.

Para entrar usar os serviços de transporte em Paris é obrigatório validar seu bilhete, mas como tem muita gente que não valida a fiscalização é bastante comum nas estações, por isso sempre guarde com você o seu ticket validado. Quem é pego no controle sem comprovante de pagamento da viagem paga no ato multa de 45 euros.

Em todas as estações de metrô você pode comprar os bilhetes nas máquinas. Muitas delas aceitam apenas moedas, outras aceitam notas de até 20 euros.

Você pode alterar o idioma das máquinas para inglês, espanhol, italiano e alemão. Se mesmo assim continuar difícil, toda estação tem uma pessoa de apoio perto das roletas e você pode pedir ajuda.

O transporte para os aeroportos Charles de Gaulle e Orly é feito com bilhetes especiais. Vou fazer um post sobre isso em breve! Nenhum dos tickets explicados abaixo já tem idas e voltas dos aeroportos incluídas.

Agora vamos aos tipos de bilhetes:

Bilhete unitário: 1.80 euros, qualquer zona
O bilhete único é um bilhete de papel e tem validade de apenas um trajeto. Só faz sentido para quem usa ocasionalmente transporte público.

Mobillis: 7 euros, zonas 1 e 2
O Mobillis é um bilhete de papel que você usa à vontade entre 00h e 24h sem nenhum limite de utlização, desde que você fique dentro das zonas indicadas no seu ticket. O preço básico é de 7 euros, mas conforme se acrescentam mais zonas, ele fica mais caro. O bilhete para todas as zonas (1-5) custa 16.60 euros por dia.

Ticket Jeune: 3.85 euros, zonas 1 a 3
Quem tem menos de 26 anos tem uma grande vantagem nos fins de semana. Em vez de comprar um Mobillis, pode comprar um Ticket Jeune que tem a mesma função, mas custa praticamente metade do preço. Se precisar usar zonas 1-5, o preço passa para 4.90 euros.

Atenção! Se você tiver mais de 26 anos e for parado no controle com o ticket errado, paga a mesma multa de 45 euros.

Carte Navigo semanal:
O Navigo é um cartão magnético que pode ser mensal ou semanal. Para a maioria dos turistas de passagem pela cidade, o que mais vai fazer sentido é o Navigo semanal. Ele tem algumas especificações explicadas aqui embaixo:

  • Cada cartão Navigo custa 5 euros. Se você for fazer pela primeira vez, precisa pagar essa tarifa. Ele é válido por 5 anos e, se for voltar à cidade, pode reaproveitá-lo.
  • Tenha uma foto 3×4. Você vai precisar para colocar no seu Navigo
  • O preço pela semana é de 21.25 euros para zonas 1 e 2. O preço aumenta conforme você acrescenta zonas. Entre as zonas 1-5, por exemplo, custa 35.40 euros. A novidade é que a partir de setembro o Navigo semanal vai ter o mesmo custo para todas as zonas: 21.52 euros.
  • A semana começa na segunda (00h) e termina no domingo (00h)

Algumas simulações comparando a relação custo x benefício entre os Navigo e Mobillis, considerando como base os valores para zonas 1-2 e estadias um pouco mais longas. O que os cenários aqui embaixo vão explicar é que se você ficar 4 dias seguidos entre segunda e domingo, já vale à pena fazer uma Carte Navigo, mesmo que precise complementar outros dias com Mobillis. Se na semana seguinte for ficar mais 4 dias seguidos, vale à pena recarregar sua carte Navigo.

4 dias com Mobillis = 28 euros /  4 dias com carte Navigo = 22.50

Cenário 1: Você vai passar 1 semana em Paris e quer bilhetes de uso liberado. Você tem mais de 26 anos e chega numa segunda-feira:

1 certo

Cenário 2: Você vai passar 1 semana em Paris e quer bilhetes de uso liberado. Você tem mais de 26 anos e chega numa quinta-feira:
2 certoCenário 3: Você vai passar 1 semana em Paris e quer bilhetes de uso liberado. Você tem menos de 26 anos e chega numa segunda-feira:

3 cerrto

Cenário 4: Você vai passar 1 semana em Paris e quer bilhetes de uso liberado. Você tem menos de 26 anos e chega numa quinta-feira:
4 certoSão dezenas de combinações e cenários possíveis, mas agora você já sabe fazer as contas e vai conseguir escolher a melhor combinação pra você!

“Passe de Museus” em Paris, vale à pena?

Em Paris, raras são as entradas gratuitas e nem todos os lugares aceitam carteiras de estudante. Por isso, vale muito à pena fazer o passe de museus! Existem 3 opções que se diferenciam pela duração da validade, 2, 4 ou 6 dias. Eu sempre sugiro fazer o de 2 ou de 4 dias, dependendo da flexibilidade que tenha pra mudar de planos.

Quanto Custa? O passe de 2 dias custa 42 euros, o de 4 dias custa 56 euros e o de 6 dias fica por 69 euros.

Onde Comprar? Em quase todos os museus e algumas lojas. A lista inteira aqui. É muito fácil comprar in loco e não vale à pena pagar as taxas de entrega pra fazer a compra online.

Brindes! Nas 50 atrações com entrada incluída no passe, além dos museus tem outras coisas bacanas: a subida da Sacré Coeur, a subida do Arco do Triunfo, a entrada na Sainte Chapelle, a Torre da Notre Dame, as criptas do Pantheon e otras cositas más! 

Corta-fila e as exceções Além do preço do passe ser bem mais baixo que o somatório das principais atrações, em quase todos os lugares existem filas diferenciadas pra quem tem o passe que são bastaaante menores que as filas pra quem compra na hora. Esse efeito corta-fila não vale em alguns lugares bastante concorridos, na Saint-Chapelle e na Torre da Notre Dame não tem jeito, vai ter que pegar fila!

O passe também não vale para subir a Torre Eiffel, que precisa de ingressos separados. Os ingressos da Torre podem ser comprados na internet e quem tem bilhetes online pega menos fila, mas eu não gosto muito dessa opção. Se você escolhe um dia nublado, já era! Avaliar o clima e escolher na hora é sempre a minha opção.

Para visitar o Pompidou, o passe vale apenas para a exposição permanente e não é aceito nas exposições temporárias – cada exposição temporária custa 13 euros.

Que museus visitar? Paris tem muito museu legal, mas se você tá com tempo contado na Cidade Luz se organize pra não perder esses, que são os meus preferidos – não necessariamente nesta ordem:

– L’Orangerie
– Invalides
– Museu Rodin
– Orsay
– Louvre
– Pantheon
– Museu Picasso
– Centre Georges Pompidou

Top 5: Os melhores lugares para ver Paris lá do alto

É impossível cansar de olhar Paris. Por todos os lados e em cada detalhe se descobre alguma coisa
incrível. Eu tenho meus lugares preferidos, claro, mas se tem uma coisa que gosto de fazer é olhar
Paris do alto. É difícil escolher 5 lugares diferentes, mas esse – por enquanto – é meu top 5.

Torre Eiffel: Durante muitos anos a Torre Eiffel foi o monumento mais alto do mundo, o que garantia
uma vista de tirar o fôlego. Em dias claros, do alto dos seus 324 metros é possível ver um raio de
até 60 km. Pra mim, o melhor horário pra subir é no fim do dia claro – que pode ser às 16h no
inverno e às 21h no verão! Esse momento de transição garante a visão de dia, do pôr do sol e da
cidade luz iluminada. A sensação de estar na torre nas horas redondas quando ela pisca também é
muito boa e quando a gente fecha os olhos parece que as luzes estão piscando de dentro da gente!

A parte ruim é ter que encarar as longas filas pra comprar ingresso e subir de elevador. Pra quem
curte se exercitar, dá pra subir de escadas os dois primeiros andares, totalizando quase 750
degraus. É possível comprar ingressos pela internet e economizar tempo de fila, mas a falta de
sorte pode te prender a dias de tempo ruim.

Por mais que eu adore a subida da Torre, ela tem uma grande desvantagem: a Torre Eiffel fica fora
da paisagem. Minhas outras subidas preferidas não tem esse problema.

Arco do Triunfo: A subida é bem mais modesta que a da Torre. Apenas 250 degraus acima da Champs
Elysées está o terraço do Arco do Triunfo. A vista é deslumbrante e te dá uma visão 360 da Étoile
formada ao redor do Arco. De um lado, a Champs Elysées, do outro o Arco de La Défense, além da
Torre Eiffel que se agiganta bem pertinho dali. É muito curioso ficar lá de cima observando o
movimento do trânisto completamente doido lá embaixo, com 12 avenidas desaguando seus carros na
Place Charles de Gaulle.

É excelente pra subir com dia claro ou à noite. Se tivesse que escolher uma vez só, escolheria de
dia em todas as ocasiões, menos na época de iluminação natalina na Champs Elysées. As luzes lá de
cima, a roda gigante iluminada na Place de la Concorde e a Torre Eiffel iluminada dão um toque
especial.

IMG_5015Sacré Coeur: A região de Montmartre já é a parte alta da cidade, com uma vista privilegiada. Depois de entrar
na Basílica e curtir um pouquinho de música dos artistas de rua que se apresentam nos degraus aos pés da igreja, é hora de preparar os pulmões para subir até o ponto mais alto da igreja. Depois de 300 degraus a vista é recompensadora!

IMG_4562Galeries Laffayete: Eu não sou fã de compras, mas amo entrar na Galeries Laffayete! E meu motivo é
bem especial. Além do interior do prédio ser lindíssimo e o domo já ser uma atração que faz a
visita valer à pena, o terraço do prédio tem uma vista maravilhosa – e gratuita. Basta ir até o
sétimo andar da Galeries Laffayette e se deliciar com a beleza de Paris.

galeriesA Roda Gigante da Place de La Concorde: Ela fica montada durante a temporada de inverno, o passeio é rápido e a vista noturna é muito legal, com a Champs Elysées iluminada para o Natal, as Pirâmides do Louvre bem pertinho e a Torre Eiffel como cereja do bolo. Vale à pena dar uma voltinha!

Mas é claro que tem vários outros lugares legais pra ver Paris do alto. Na lista das minhas próximas visitas estão a Torre da Notre-Dame e a Tour Montparnasse. Os franceses que acham que a Tour Montparnasse, um prédio todo moderno no meio de Paris, dizem que é de lá a melhor vista da cidade: lá do alto, você pode contemplar a beleza de Paris sem que a própria Tour Montparnasse
estrague o visual! 🙂